Whatever.

Minha foto
Goiânia
"Advinha-me, esquenta-me com sua advinhação de mim" C.L.

sábado, 16 de abril de 2011

Ecos de minha alma

A sua voz carrega o tom do desencanto
Eu não vou mais cair em prantos
Eu não vou mais cair em prantos
O que eu já fui, eu não sou mais
O que me deu, já não dá mais
Eu não vou mais, eu vou não mais
Eu já não quero lhe dizer
Sinto falta de você
Sinto falta de você
Esse medo que eu carrego
Já me alerta
O fim é certo, o fim certo
Essa ausência ainda me mata
Seu silencio é uma charada
Eu já não posso carregar
A sensação de não ser nada
Eu não sou nada, eu não sou nada
Se for difícil me dizer
Não precisa se conter
Eu já sei
Que o meu amor não lhe faz bem...
E quem eu sou? Não sou ninguém
Não sou ninguém.. Não sou ninguém
Não quero ser seu grande fardo
Não quero ser o seu atraso
Eu não vou ser, eu não vou ser...
Eu sei que sou, não quero ser..

Um comentário:

SAULO PRADO disse...

minha alma esta em silencio
estagnada neste momento
tudo em mim é solidão
sofro com as dores do coração
longe ti não me encontro
ao contrario cada vez mais me escondo
tentando fugi desta saudade
eu vou vivendo a busca da felicidade.....

Seu texto é tão inspirado que não resisti em esses verso compor...